Notícia

IPASEAL SAÚDE

Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do Estado de Alagoas
Quarta, 10 Abril 2019 18:22

A importância do Geriatra para qualidade de vida dos idosos

O mundo e as pessoas em que nele vivem envelhecem a cada segundo. Isto é fato e faz parte do processo natural. Como também é verdade afirmar que a população do planeta fica mais velha num bem ritmo acelerado.

Para se ter uma ideia, a Organização das Nações Unidas (ONU) estima que até 2050, a população com mais de 65 anos na Europa irá aumentar de 23% para 28%. Na América do Norte, o percentual correspondente subirá de 18% para 23%. Até 2050, Ásia, América Latina, Caribe e Oceania terão mais de 18% de sua população com mais de 65 anos.

No Brasil, segundo o IBGE, os idosos passaram a representar, em 2016, 14,4% do total da população. Entre 2012 e 2016, o número de cidadãos com mais de 60 anos cresceu 16%, contabilizando 29.566 milhões de pessoas.

Este processo de envelhecimento torna os idosos muito mais vulneráveis às doenças do que os indivíduos mais jovens. Isto ocorre porque nos idosos, acontece a redução da capacidade de adaptação a sobrecargas funcionais.

Durante toda a vida, nossos corpos mantêm algumas reservas funcionais. E tais estoques nos permitem desempenhar as atividades diárias, recuperar de enfermidades e ter energia.

Com a chegada à terceira idade, no entanto, alguns fenômenos biológicos começam a entrar em ação no nosso corpo e acabam diminuindo, de forma gradativa, todas essas reservas.

Com o aumento da expectativa de vida, a importância do geriatra é cada vez maior. É o profissional mais qualificado para atender esse público. Ele é capaz de diferenciar as mudanças anatômicas, funcionais e psicológicas próprias do processo natural de envelhecimento e das alterações decorrentes de doenças nessa fase da vida. 

Qual momento deve-se procurar um geriatra?

Existem basicamente três situações:

  • A primeira é preventiva, para se orientar como envelhecer de forma saudável.
  • A segunda é para o acompanhamento do processo natural de envelhecimento, já em evolução.
  • A terceira é para o acompanhamento de doenças nessa fase da vida, evitando novas sequelas e reabilitando as já existentes.

Como o profissional atua

A geriatria é uma especialidade da medicina relativamente recente. Seu surgimento se deu justamente devido à necessidade de um atendimento diferenciado e exclusivo para quem já está ficando mais velho.

O geriatra, ao consultar o paciente, será capaz de distinguir as mudanças anatômicas, psicológicas e funcionais que já são comuns ao processo do envelhecimento — provenientes de possíveis doenças e distúrbios que também podem vir a ocorrer nessa fase da vida.

E, ao contrário de muitos profissionais consultados por pessoas na faixa etária a partir dos 60 anos, os geriatras não se restringem a analisar um órgão ou sistema do corpo. Essa especialidade se dedica a toda a saúde do indivíduo.

Segundo os médicos, inclusive, um dos principais objetivos do acompanhamento com um geriatra é a individualização do processo de saúde do paciente. Assim, evita-se a necessidade do acompanhamento com vários profissionais.

Isso não impede, no entanto, que o geriatra trabalhe lado a lado com cardiologistas e neurologistas, por exemplo. Eles costumam ser os profissionais médicos mais requisitados por essa faixa etária.

 

Ascom - Ipaseal Saúde