Aviso

IPASEAL SAÚDE

Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do Estado de Alagoas
Quinta, 18 Março 2021 14:54

Saiba quais são os sintomas da dengue clássica e hemorrágica

www.tuasaude.com

Os primeiros sintomas da dengue geralmente são pouco específicos e incluem febre alta e mal estar geral, que surgem cerca de 3 (três) dias após a picada do mosquito Aedes aegypti.

Dessa forma, além dos sinais que surgem, é muito importante ficar atento para a evolução dos sintomas da dengue e assim ajudar o médico a distinguir de outras doenças como gripe, resfriado, malária ou meningite, por exemplo, iniciando o tratamento adequado rapidamente.

1. Dengue clássica: sintomas específicos

Os sintomas da dengue clássica são semelhantes aos da Zika, mas normalmente são mais intensos e duram cerca de 7 a 15 dias, enquanto a Zika costuma desaparecer em até 1 (uma) semana. No entanto, em qualquer um dos casos, é importante ir ao médico para que faça o diagnóstico adequado da doença e dê orientações do tratamento a ser seguido.

Os sintomas da dengue clássica geralmente incluem:

  • Febre Alta

A febra alta tem início súbito e a temperatura corporal fica em torno de 39 a 40ºC. A febre significa que o corpo está começando a combater o vírus através da produção de anticorpos, e, por isso, é importante iniciar o repouso para que as energias do corpo sejam concentradas em eliminar o vírus.

  • Náuseas e vômitos

As náuseas e vômitos são outros sintomas comuns da dengue, que acontecem devido ao mal estar geral causado pela doença, que também provoca falta de apetite, especialmente perante cheiros fortes.

  • Dor de cabeça e no fundo dos olhos

A dor de cabeça costuma afetar principalmente a região dos olhos e tende a piorar com o movimento e esforço da vista.

  • Manchas vermelhas na pele

As manchas vermelhas são parecidas com as do sarampo, mas surgem principalmente na região do tórax e nos braços. A doença pode ser confirmada através da prova do laço, na qual é observada o surgimento de manchas vermelhas na pele após amarrar um fio no dedo.

No posto médico, a prova do laço pode diferenciar os sintomas da dengue e da Zika, pois na dengue ocorre formação de mais manchas vermelhas na área avaliada pelo médico. 

  • Mal-estar e cansaço extremo

Devido à luta para combater o vírus, o corpo gasta mais energia e provoca a sensação de cansaço extremo. Além disso, como normalmente o paciente passa a se alimentar mal durante a doença, o corpo fica ainda mais fraco e cansado.

  • Dor abdominal, nos ossos e nas articulações

A dor abdominal ocorre principalmente em crianças, enquanto a dor nos ossos e nas articulações costuma afetar todos os pacientes. Além de dor, a região afetada também pode ficar levemente inchada e avermelhada.

2. Dengue hemorrágica: sintomas específicos

Os sintomas podem aparecer até 3 (três) dias após os sintomas da dengue clássica e incluem sangramentos pelo nariz, gengiva ou olhos, vômitos persistentes, urina com sangue, agitação ou confusão.

Além destes sintomas, em alguns casos, também é possível o surgimento de outros sinais como pele úmida, pálida e fria, assim como diminuição da pressão arterial.

O que fazer se suspeitar de dengue hemorrágica: Deve ir imediatamente para o hospital para receber o atendimento adequado, porque esta é uma situação grave que pode levar à morte se não for devidamente tratada no ambiente hospitalar.

Porém, nos casos mais graves, que necessitam de internamento hospitalar, a dengue pode complicar podendo ser observado desidratação problemas no fígado, no sangue, coração ou respiratórios. 

Sintomas da Dengue em bebês

Em bebês e crianças pode ser mais difícil de diferenciar esta doença de outras infecções comuns, por isso se o bebê apresentar febre alta repentina deve ser levado ao posto de saúde mais próximo ou pediatra, para que ele possa solicitar um exame de sangue e indicar o tratamento.

Os sintomas em bebês podem ser:

Febre alta, de 39 ou 40ºC;

Prostração ou irritabilidade;

Falta de apetite;

Diarréia e vômito.

O que fazer se suspeitar que o bebê está doente: Deve levar o bebê ao pediatra para que a doença seja diagnosticada por um médico.