Aviso

IPASEAL SAÚDE

Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do Estado de Alagoas
Terça, 22 Janeiro 2019 19:31

Como evitar o surgimento e tratar as escaras no corpo

Fonte: www.tuasaude.com / melhorcomsaude.com.br

As escaras de decúbito, também conhecidas como úlceras de pressão. São feridas que aparecem na pele de pessoas que permanecem muito tempo na mesma posição, como acontece em pacientes internados em hospitais ou que ficam acamados dentro de casa. São comuns também nos paraplégicos, já que passam muito tempo sentados na mesma posição.

As escaras podem ser classificadas de acordo com a sua gravidade, podendo ser:

Grau 1: Vermelhidão na pele que, mesmo após o alívio da pressão, não desaparece;

Grau 2: Formação de bolha com conteúdo aquoso;

Grau 3: Aparecimento de necrose do tecido subcutâneo;

Grau 4: Acometimento de estruturas profundas, necrose de músculos e tendões, aparecimento de estrutura óssea.

Os locais mais frequentes para o surgimento de escaras são a região sacral (logo acima do bumbum), as laterais do quadril, os calcanhares, as orelhas, os ombros e os joelhos. Este são locais do corpo que ficam mais facilmente sobre superfícies duras, dificultando a circulação de sangue.

as escaras podem causar infecção e muito sofrimento; já que vão se agravando se a pessoa não muda de posição.

Fatores de risco que aumentam a formação de escaras são:

  1. Idade avançada;
  2. Imobilidade total;
  3. Incontinência urinária ou falta de controle do aparelho excretor;
  4. Desnutrição ou desidratação;
  5. Doenças de cura lenta;
  6. Transtornos mentais (demência, confusão, Alzheimer);
  7. Uso de medicamentos sedativos;

Como evitar o surgimento de escaras

A prevenção das escaras pode ser feita através da mudança frequente de decúbitos, isto é, da mudança da posição do corpo de 2 em 2 horas. Além disso, o uso de almofadas ou de um colchão chamado popularmente de casca de ovo, também pode ajudar a reduzir bastante o risco de ter uma úlcera de pressão.

Mais dicas para prevenir as escaras:

1. Mudar a postura a cada 2 ou 3 horas

Segundo as possibilidades do doente, é necessário girá-lo de lado com a finalidade de que o sangue circule e, ao mesmo tempo, a pele não fique pressionada sempre no mesmo lugar.

Por exemplo, pode-se usar travesseiros para as costas e rodeá-lo pela direita ou pela esquerda.

2. Inspecionar as áreas vulneráveis

Há partes do corpo onde as escaras são mais comuns: calcanhares, quadris, sacro, joelhos, orelhas e ombros.

Quando há vermelhidão, é preciso tratá-la rapidamente para evitar que a chaga apareça.

3. Manter a higiene corporal

Por mais que a pessoa esteja deitada, ela transpira e se suja. Uma higienização completa ou banho diário são fundamentais para reduzir o risco de surgimento de escaras.

Deve-se sempre usar sabonete neutro e não esfregar;

A secagem também é importante, já que a umidade acelera o processo de vermelhidão.

5. Alimentar e hidratar bem o paciente

A dieta equilibrada e de acordo com as necessidades da pessoa é fundamental para melhorar sua saúde e contar com todos os nutrientes de que precisa.

Além de água, infusões ou sopas, é recomendável a gelatina, para aumentar o consumo de líquidos.

6. Evitar a pressão dos calcanhares

Pode-se colocar uma almofada debaixo das pernas para que os pés fiquem pendurados, sempre fazendo com que os lençóis e mantas não comprimam os dedos.

Para isso, deixe a roupa de cama o mais folgada possível.

7. Massagear

Duas ou três vezes por dia, é muito importante fazer massagens para aumentar a circulação e evitar que os músculos adormeçam. É recomendável o uso de loções ou cremes especiais. Nunca massageie as proeminências ósseas, já que podem exercer mais pressão na fina camada da pele que as rodeia.

8. Mudar a roupa e os lençóis

Certifique-se de que as roupas que o paciente está usando são adequadas.

Elas não podem estar muito apertadas, mas também não podem estar muito soltas; já que, no primeiro caso, não permite que a pele “respire” e, no segundo, pode enrolar e exercer mais pressão em certas regiões.

A roupa não pode ter botões, zíper e nem costuras grossas.

No caso dos lençóis, é muito importante trocá-los periodicamente, principalmente para evitar a umidade e a sujeira.

9. Exercitar

Se o doente não pode se movimentar por seus próprios meios, a pessoa encarregada deve lhe ajudar a exercitar as pernas, braços, pescoço, etc. Estas movimentações melhoram a circulação e reduzem o tempo de pressão contra a cama.

Como tratar as escaras

O tratamento para escaras que ainda não estão abertas consiste em melhorar a circulação sanguínea local, através de massagem suave com óleo de girassol ou creme hidratante, por exemplo. No entanto, nas escaras que já estão abertas é aconselhado que o tratamento seja feito por um médico ou enfermeiro.